sábado, 9 de junho de 2012

Tarde demais


Dos beijos, justo o que eu não dei é o mais doce.
Da pele, a tua, que é mais bela, eu não toquei.
Tantas mãos já enlacei!  Quem dera assim fosse
Feliz...  Mas meu olhar com o teu eu não cruzei.

Calei meus sonhos.  Impossível teu abraço
E teus afagos não acalentarão minh'alma...
Sei que para mais distante vais, a cada passo
E o não te ver me adormece e me acalma.

Mas uma parte de mim, ínfima e cruel,
Escarnece da minha dor, zomba e diz: "Covarde!
Como podes deixar um tal amor ao léu?"

Então a velha chama, que dormia, arde
E ouço a minha voz bradar até o céu:
"Por que eu não lutei, Senhor?!"  Agora é tarde.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário